http://arkitectos.blogspot.pt/2009/02/ponte-da-barca-uma-lixeira-ao-ar-livre.html#more
PONTE DA BARCA, UMA LIXEIRA AO AR LIVRE

Como sabem as eleições aproximam-se, o que é sinónimo de inaugurações e de auto-santificações públicas e campanhas demagógicas direccionadas para o "zé-povinho". Aliás o prato forte, como todos sabemos e aquele que infelizmente pior caracteriza a classe política, é a demagogia sobre a suposta "obra feita", como se cortar fitas e atirar acenos para as populações fosse o supra-sumo dos objectivos de um mandato.



Em breve muitos vangloriarão as suas supostas boas e muitas obras, como se "fazer muito" bastasse, ou se sobrepusesse ao "fazer bem". E como muitos até já começaram a pré-campanha nada melhor que acompanha-los mostrando o que se deixou fazer de mal e aquilo que não se fez.

Em Ponte da Barca a lista é interminável, por isso vou começar aleatoriamente pela questão do lixo. A cerca de dois anos escrevi um post neste blogue denunciando a lixeira existente nas imediações da Escola Secundária de Ponte da Barca. Passado dois anos, não só a situação não foi resolvida como as lixeiras a céu aberto se multiplicaram de forma preocupante.

A maioria do lixo depositado é proveniente da indústria automóvel, de publicidade e da construção civil e das suas especialidades, como demolição, pichelarias, pintura, etc. Lixo facilmente identificável, e em certos casos identificado com siglas. Como é o caso do lixo depositado no terreno do futuro campo de futebol de Ponte da Barca, onde já existe um enorme aterro devidamente terraplanado, com lixo tóxico misturado com restos de material proveniente de jardinagem e construção.

Tal aterro - como se pode ver pelas fotografias, algumas bastante comprometedoras - já tem proporções muito consideráveis, por isso faço uma perguntam muito simples, quem vai pagar a limpeza, transporte e tratamento de todo aquele entulho? Sim porque suponho que ninguém esteja a pensar fazer um campo de futebol em cima de todo aquele lixo perigoso.

Ps: As fotografias foram tiradas entre as zonas da Escola Secundária e do santuário de Santa Rita e mostram: pneus, restos de demolições e construção (canalizações, tijolo, betão), restos de tinta, cola, silicone, poliestirenos, pinheiros de natal, contentores de lixo, restos de jardinagem/poda, acrílicos entre muitos outros objectos e materiais.


1 comment:

João said...

Tens toda a razão. É pena que se degrade a qualidade do concelho.
Pequenas atitudes poderiam resolver tudo.
O principal problema é que nestes pequenos concelhos quem fiscaliza é quase sempre quem mais prevarica.
Deixo uma pequena questão:"Qual será a percentagem de pessoas que pagam no estacionamento que tem actualmente a vila de Ponte da Barca".
É preferível fazer operações stop às escndidas do que ter que multar os carros dos amigos.